CONTATO

João Wainer

joaowainer@uol.com.br

http://www.joaowainer.com.br

joaowainer.wordpress.com

twitter.com/joaowainer

flickr.com/joaowainer

17 Comments
  1. Grande pessoa, grandes fotos e grandes fatos que publicas aqui!
    Parabens, parabens mesmo!

    Conheci hoje e já virei admirador!

  2. Bem, conheci o seu perfil hoje, e como o colega acima tb virei admirador, muito bom trabalho, fotos marcantes, espero manter contato, posso te adicionar no Twitter? @fernandodiniz43

  3. Primeiramente, parabéns pelo blog. Eu que sou um apaixonado pelo fotojornalismo, fico diariamente horas parado em frente ao computador admirando o seu trabalho. Fico viajando e sonhando em um dia realizar trabalhos do nível do seu. Muita saúde e que você continue com muita saúde para realizar vários outros trabalhos brilhantes.

  4. olá João… ei a galera gostou do vídeo que ficou passando no stand da vale estamos anceosos pelo making off ..
    parabéns elo tranalho..

  5. João, estamos eu e Márcio Clebe estamos fazendo um vídeo aqui da turma da área, ta ficando muito bacana, uma mega produção kkk, vou te mandar o link assim que tiver pronto!

    Grande abraço!

  6. Parabéns pelo seu trabalho João.

    Mas tentei ver seu portfolio e não da mais.

    Diz que nada foi encontrado.

    Tenta arrumar pra gente ver as fotos

  7. Oi João, faz tempo que queria entrar em contacto com voçe, mas sabe passa,passa até ao dia que não pode passar mais. Pena que eu tive de só estar um pouquinho com voçe aquando da minha estadia em Paulo, fazendo pautas na Folha para o projecto da Kameraphoto ” A state of affairs”. A dica para o contacto ela me foi dada pelo excelente trabalho que voçe realizou em “Fotojornalismo em dois tempos” e que me foi enviado pelo Apu Gomes.

    Fico esperando o seu contacto

    Abraço desde Lisboa

    Valter Vinagre

  8. The MOCA Museum in Los Angeles, will host what I believe is the largest graffiti and street art exhibition ever; titled Art in the Streets. It opens on April 17th of this year and runs for three months. It is my honor to assist and curate the film component of this exhibit. The exhibition will feature a film installation and film series, in which, we’d like to run PIXAÇÃO – PIXO. Additionally, we will create a continuous film loop as part of the exhibit that will run during the duration of the exhibition that would feature 3-8 minute segments of many films and I would like to include a segment or two of PIXAÇÃO – PIXO. I welcome segment recommendations [for the loop].

    If you are interested please let me know as soon as possible as time is short. There is unfortunately no budget allocated to this portion of the exhibition so I can not offer any money in exchange for your participation. However, I believe it would be amazing to bring your film to this audience as it is quite amazing (your film that is).

    Feel free to reply with any questions. My assistant, Ruby Millien is cc’d on this email. She will follow up later this week with a release for your featured film and can coordinate receiving your material [if you are participating].

    Best Regards,

    Alan Ket
    graffiti consultant

  9. Olá João Wainer, me chamo Tracy e estou realizando um trabalho de pesquisa no qual preciso saber a quem devo recorrer para conseguir a liberação dos direitos autorais do jornal Diretrizes que pertenceu a Samuel Wainer. Pode me ajudar em alguma coisa? Agradeço desde já.

  10. OláJoão, me chamo Luiz Fernando, tenho observado que o Zanone não está maisfazendo o horário da madrugada e por isso, gostaria de ter a informação se estavaga está preenchida.

    Fotografei para no jornal diário A Tribuna em Santos,durante três anos sempre à noite, atualmente sou colaborador da Fotoarena, emSantos, mas tenho apartamento em SãoPaulo, situado na Rua Pamplona; tenhodisponibilidade de subir a qualquer momento caso precise, se possível, gostariaque você desse uma olhada no meu trabalho no link abaixo que tem a ver com anoite, crime etc.

    Gostode captar uma luz diferente e enquadramento e percebo que na Folha é possívelemplacar fotos mais criativas, por isso tenho muita vontade de poderdesenvolver uma linha editorial diferente de acordo com sua orientação.

    Muito obrigado

  11. Oi, João. Acabo de assistir “A Ponte” e me incomodou muito o tom de verdade absoluta de várias coisas ditas ali (talvez por ser um institucional, da Casa do Zezinho, sim? Assinado, porém?) e sobre as quais não tenho segurança em concordar. Poderia usar vários trechos do vídeo para ilustrar o simplismo e o conteúdo raso – reforçado pelas apelações emotivas – de raciocínios que fogem do debate que, de verdade, poderia mudar a realidade com a qual se diz não concordar.
    Ignorância pura deitada em cima de orelhas de livros do Paulo Freire? Adesismos em novas lotações negreiras derramando mão de obra barata pra manter tudo como está? Madalenas “reformistas conservadoras” arrependidas? Grandes empresários que não aplicam conceitos de gestão nas instituições que dizem apoiar? Culto ao Super Herói, de novo (ou heroína – desculpe-me, contudo, não é claro, pelo desequilíbrio dela, que tem alguma coisa errada?)? Playboys “baba ovo” de ídolos da periferia – ah, até onde vai nosso “animus domini”! – tendo orgasmos ao dizer, na rodinha do Fasano, que são malandros (detalhe: de carros blindados, fumando seus baseadinhos, rsrsrs)? É difícil enxergar que os novos “Messias” mostrados no vídeo, frente a homens de verdade e não bonecos sem vivência e de quatro, não durariam 2 minutos de conversa e confessariam sua ânsia de avançar além do be-a-bá?
    Oh, que bonito, alguém, numa feijoada folclórica, puxa um samba que diz: “do conflito nasce a luz…”. Epa, me passa a couve.
    Minha mensagem então se perde no ar (ou não, João? Não frequento seu meio, peço, por favor, sua ajuda para gerar o debate). A tradição (sobrenomes, fazendas, panelas), a família (sobrenomes, fazendas, panelas e, porque não, a pimentinha de um ou dois tipos: cooptada ou consagrada (adesista é muito banal, afe!)?) e a propriedade (sobrenomes, fazendas, panelas, pimentinhas e “ah, desde meus antepassados, o Conde do X ou o Barão do Y, temos a tradição de ajudar o próximo”) brindam a próxima caipirinha.
    Um Salve (como dizem!)!
    ps caso o dono do moinho queira aulinhas de gestão do Terceiro Setor, estou à disposição.

  12. Muito bom texto,dificil julgar a atitude q ela teve,em se prostituir,mas os filhos dela poderiam ter tirado ela dessa vida a muito tempo.

  13. Que ser humano e pai.
    Lê a reportagem da CRESCER.
    Achei ótimo, como lidou na questão da diferença.

    E o seu olhar tanto pra vida, como pra família e para a fotografia.

    E a reportagem que estou acompanhando da revista FHOX, sobre. Uma nova linguagem.

    E sobre fotojornalismo.

    Massa de mais.

    Abraços
    Kleber

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s